AS LEIS DE GUERRA (Deuteronômio 20: 1 - 8)


AS LEIS DE GUERRA

Deuteronômio 20: 1 - 8

INTRODUÇÃO – A vida espiritual é uma batalha que é travada diariamente contra o inimigo, a carne e o mundo. Nesta peleja não estamos sozinhos, mas o Senhor está conosco (II Crôn 32: 8), por isso não devemos temer se as dificuldades e problemas parecem insuperáveis. Para estarmos aptos à peleja, alguns requisitos precisam ser observados:

 

1- Confiança no Senhor quando o inimigo (lutas, problemas, etc.) parecer mais poderoso e forte do que nós.

 

  1. Cavalos - representam a força e o poder humanos.
  2. Carros – recursos, habilidade e facilidades do inimigo.
  3. Maior número – problemas grandes demais e com aparência de invencibilidade.

 

2- Disposição e prontidão em enfrentar a luta ou o problema.

 

  1. Não amoleça o vosso coração – não se renda antes da batalha.
  2. Não temais nem tremais, nem vos atemorizeis diante deles – se as coisas se complicam ao invés de se resolverem, mesmo assim devemos confiar no Senhor.

 

3- As Leis de Guerra e os que estavam aptos a sair ao campo de batalha:

 

a)  O homem que edificou casa nova e ainda não a consagrou – O servo que nasceu de novo e teve a sua vida (casa) transformada, mas que não se consagrou, isto é, não se santificou ao Senhor, não pode servir como obreiro, não pode participar dos grupos da igreja, etc. pois pode fracassar e cair no campo de batalha, e outro (o adversário) vem e consagra sua casa (sua vida) ao seu serviço. Se o servo não se consagrar ao Senhor, o inimigo vai terminar por derrotá-lo e consagrá-lo à sua obra de destruição. Verificar os seguintes textos: Rom 6: 1-4, 12, 13   e 19  * Mat 12: 43 – 45.

 

b)  O homem que plantou uma vinha e ainda não logrou fruto dela – O servo que teve a Obra plantada no seu coração, entendeu a revelação, mas não produziu frutos e sua vida permaneceu como dantes, ligada às coisas velhas do passado e da religião, não pode participar da peleja. Verificar os seguintes textos:  Gal 5: 22 – 25  *  II Tm 2: 6  *  Luc 3: 9.

 

c) O homem que desposou mulher e ainda não a recebeu – A mulher tipifica a igreja, e quando nos convertemos devemos nos unir a ela, integrando-nos ao Corpo, assumindo nossa responsabilidade de dar a ela a nossa parte. Muitos querem apenas receber (oração, assistência, socorro, etc.), mas o principal e o mais importante é participar de suas atividades e trabalhos (limpeza, grupos, jejuns, madrugadas, culto profético, etc.) ajudando a levar as suas cargas e não se constituindo numa carga. Mat 21: 28 – 31 (os dois filhos)  *  I Co 15: 58.

 

d) O homem medroso e tímido de coração – O medo e a timidez demonstram falta de confiança no Senhor e denunciam apego à própria natureza (velha) e aos recursos próprios. Deus não nos deu o espírito de temor e covardia. Temer significa desconfiar do poder do Espírito Santo. O medo e a timidez provocam a derrota antecipada  sem passar antes pela luta. É um sentimento muito perigoso porque pode contaminar até mesmo aqueles que estão prontos para a batalha, induzindo-os ao desânimo e à derrota. Textos: Jz 7: 3  *  Pv 24: 10  *  II Tm 1: 7 .